Páginas

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

LISTA: 10 SÉRIES INGLESAS IMPERDIVEIS


Fugindo um pouco das séries americanas, existem as excelentes series inglesas. Ótimas historias, elenco, roteiros e produção caprichada são comuns de ver nas séries produzidas pelos canais BBC, ITV, Channel 4 e Sky TV. Mas uma peculiar característica desagrada 100% dos fãs desse tipo de produção: cada temporada dura , no máximo, 8 episódios  por ano o que faz muitas dessas produções caírem no esquecimento rapidamente numa era onde a Netflix disponibiliza todos os capítulos de suas series originais de uma unica vez. Mas essa quantidade reduzida de episódios permitem aos roteiristas se livrarem do horror das enrolações e irem direto ao assunto. Esse fato transformas as séries da Inglaterra super dinâmicas.  Essa lista é baseada nas produções vistas por mim. Portanto, "medalhões" como Doctor Who, Sherlock, Skins e Being Human não aparecem nesta lista.


ASHES TO ASHES


Mistura de spin off e continuação  da excelente Life on Mars, Ashes to Ashes (que, assim como na serie  irmã ganhou este  nome de uma famosa musica de David Bowie) parte do mesmo principio. Desta vez, a policial Alex (Keeley Hewes, excelente atriz vista recentemente na mini serie Morte Subita de J.K Rowling) é quem sofre um acidente e vai parar em 1983. Confusa. a detetive fará de tudo para poder voltar ao presente para sua filha. Essa produção durou 3  temporadas e teve a difícil missão de explicar o por que de Alex e do detetive Sam Tyler de Life on Mars terem voltado no tempo (ou estavam mortos? Ou era um sonho?). Produção de arte caprichada e trilha sonora muito boa com os hits da época são a cereja do bolo. Ainda  a química  explode entre Keeley Hewes e Philip Glenister que repete seu personagem sacana de Life on Mars que, ao que parece, pode ser a chave do grande mistério dos dois seriados.



BIG SCHOOL


Engraçada e escrachada a serie Big School teve vida curta com duas temporadas produzidas pela BBC. A trama é focada nos professores de um colégio que estão tão desinteressados em ensinar quanto os a aprender, exceto o hilário professor Chuch (David Wallians). Ainda no elenco, o destaque vai para a hilária Caterine Tate (de Doctor Who e The Office US) e seu dom de disfarçar que não sabe dar aula, Gunn (Phillip Glenister, de Life on Mars, Ashes to Ashes e Mad Dogs) o tarado professor de educação física e a maconheira e bêbada diretora interpretada pela atriz Frances de la Tour.  




BROADCHURCH

Um drama misturado com mistério tão intenso que conquistou o coração dos ingleses transformando a então mini serie em seriado com uma terceira temporada já encomendada. O mistério acerca de quem matou um garoto de 11 anos numa cidade litorânea surpreendeu pela abordagem fria e ousada da policia inglesa. Destaque para o numeroso elenco onde se destacam David Tennant, Olivia Colman e Jodie Whitakker, Tanto sucesso fez a série que despertou a atenção da TV americana que produziu um remake chamado Gracepoint, curiosamente estrelado também por David Tennant. Essa sensacional série foi exibida no Brasil no canal GNT e seu inferior remake no canal TNT Series este ano.




DOCTOR FOSTER

Grata surpresa deste ano, Doctor Foster fez um sucesso tão grande na Inglaterra que ganhou o status de seriado sendo renovado para uma segunda temporada. No drama, a vida perfeita da doutora Gemma Foster é destruída quando ela descobre a traição de seu marido. Elenco afiado encabeçado pela excelente atriz Suranne Jones praticamente aparecendo em todas as cenas arrasando no papel da mulher traída e que não abaixa a cabeça por nada.




DOWNTON ABBEY


A mais famosa série desta lista, Downton Abbey chegou ao final este ano depois de 6 temporadas emocionando e encantado o publico com suas historias simples, porem, cativantes. A historia acompanhou quase 15 anos da família Crawley e seus empregados da gigantesca propriedade. Com um elenco numeroso, fica difícil destacar algum ator ou atriz pois todos tiverem participações significativas e conquistaram o publico. Mas não dá para deixar de citar a presença das veteranas Maggie Smith e Penelope Wilton e a troca de alfinetadas entre suas personagens que garantiam o humor da série.




LIFE ON MARS

Intrigante, misteriosa, excelente, difícil de superar,,, Muitos adjetivos podem ser utilizados para Life on Mars a mais sensacional serie criada na década de 2000. Injustamente compara a Lost (a produção inglesa é muito melhor) o seriado acompanha Sam Tyler (Jonh Simm) um policial que é atropelado e acorda em 1973 e terá que dar um jeito de voltar a 2008 e descobrir o que diabos aconteceu com ele. Sam morreu? Está em coma? Alguma coisa o fez voltar no tempo? Sucesso de publico e critica, o seriado não foi concluído em suas duas temporadas o que aconteceu na sua continuação Ashes to Ashes. Infelizmente, o destino de Sam foi um pouco decepcionante. Mas não manchou a reputação da série. Destaque para o ator Jonh Simm que teve a proeza de aparecer em 100% das cenas filmadas.





LINE OF DUTY


Assim como Broadchurch e Doctor Foster, Line of Duty surgiu como mini serie mas seu sucesso junto ao publico e critica fez a BBC encomendar novos episódios transformando automaticamente num seriado que, em 2016, vai estrear a terceira temporada. A trama é centrada na corrigidora da policia encarregada de investigar policiais desonestos e corruptos. Apesar do elenco (muito bom) contar com as presenças fixas de Martim Compson (detetive Arnott) e Vicky McClure cada temporada tem um protagonista diferente, no caso, o policial investigado. Já fizeram esses papeis Lanie James (visto hoje em The Walking Dead) e Keeley Hewes (Ashes to Ashes). Cada temporada desta serie demora quase dois anos para ficar pronta por causa da agenda apertada dos envolvidos. No mais, é uma ótima trama policial.




MAD DOGS


Quatro amigos vão passar as ferias num lugar paradisíaco chamado Mallorca na Espanha, jamais imaginaram que iam se meter na maior encrenca de suas vidas lidando com assassinatos, perseguições, drogas, trocas de identidade e muita correria. O destaque da produção (alem de locações deslumbrantes na Espanha e Africa do Sul) foi o quarteto protagonista feito pelos amigos John Simm e Philip Glenister (ambos de Life on Mars), Marc Warren e Max Beesley que tinham uma química incrível. Mad Dogs teve 4 temporadas com num total de 14 episódios produzidos e este ano ganha um desnecessário remake na TV americana.




THE FALL

Basicamente sustentado por dois atores, The Fall é mais uma produção da lista que ganhou o status de seriado ao ser bem aceito em todos os países em fora exibido. Na trama a detetive Stella (Gillian Anderson, sempre excelente) caça implacavelmente um serial killer que esta abusando e matando mulheres solteiras. Jamais ela imagina que o responsável pelos crimes é o pacato pai de família Paul (Jamie Dorman de 50 Tons de Cinza) e os dois travam um sedutor e perigoso jogo de gato e rato.





THE OFFICE UK


Uma série que rendeu inúmeros remakes, mesmo que em algumas situações sejam disfarçadas! Esta The Office original saiu da mente de Rick Gervais e Stephen Merchant hoje comediantes requisitados nos EUA. A estressante e chata rotina de um escritório nunca foi tão divertida de se ver. A serie ainda inaugurou o formato de monkumentary ou falso documentário onde os personagens interagem com a câmera (ou seja, nós) e nos brindou com situações inusitadas e engraçadas e brincou com a vergonha alheia como nenhuma outra série fez. 

domingo, 15 de novembro de 2015

PERFIL: DANNY STRONG



De figurante em seriados á um dos mais elogiados roteiristas da atualidade. Assim pode-se começar a falar de Danny Strong ator e agora roteirista bastante requisitado. Nascido em Manhattan Beach na Califórnia, ele frequentou a Universidade do Sul da Califórnia, onde se formou em teatro. Durante seu período lá, ele ganhou o Prêmio James Pendelton por um papel e foi finalista para o prestigioso Irene Ryan Award oferecido pelo Centro Kennedy. Após a formatura, ele começou a trabalhar como ator e foi premiado com uma bolsa da USC School of Theater para ensinar durante o curso de verão (aos vinte e dois anos, ele é a pessoa mais jovem a receber esta honra). Eu conheci essa figura baixinha (ele tem 1,57 m) fazendo o papel de Jonathan um colega estudante de Buffy na série homônima.

O personagem Jonathan aparecia na serie sempre em pontas e com poucos diálogos. Mas, na terceira temporada, o personagem e Danny Strong ganharam uma chance imperdível. Durante o episodio O Alcance da Voz, Buffy é infectada pelo sangue de um demônio e ganha um novo poder: pode escutar o pensamento de todos. Mas esse poder acaba quase levando a garota a loucura pois o pensamento de todas as pessoas é escutado por ela. Ela acaba escutando uma pessoa dizendo que vai matar a todos no colégio e acaba descobrindo que Jonathan tentava o suicídio pois se sentia triste por ser baixinho e não popular. Esse foi o episódio que foi proibido por um tempo de ser exibido nos EUA devido as semelhanças com o chocante tiroteio da escola de Columbine onde um aluno saiu atirando em tudo pela frente. Na quarta temporada de Buffy, Danny Strong ganhou um destaque ainda maior no episódio O Super Astro quando Jonathan faz um feitiço e vira o cara mais popular do planeta. Até a abertura da série foi alterada com imagens de Jonathan ao invés de Buffy.  Jonathan retornaria ainda na sexta e sétima temporadas como parte do grupo de nerds que tenta acabar com a heroína.

Danny Strong como Jonathan em Buffy...

... e com o parceiro do sucesso com Lee Daniels.



Depois dessa participação, o ator descolou vários papeis em seriados mas o papel de maior destaque foi um personagem recorrente em Mad Man. O ator deu um virada na carreira em 2008 quando se revelou um talentoso roteirista escrevendo o telefilme da HBO Recontagem sobre os bastidores acerca das eleições presidências americanas em 2000 quando George W. Bush derrotou Al Gore. Essa produção foi muito elogiada e considerada tão importante quanto o filme dos anos 1970 Todos os Homens do Presidente. A HBO ficou satisfeita com o trabalho de Strong e bancou mais uma produção com pegada politica, Virada no Jogo sobre como Sarah Pallin (Julianne Moore) sendo vice candidata ganhou mais destaque mais do que o candidato presidencial Jonh MCain nas eleições de  2008. Por essa produção, Strong ganhou o Emmy de melhor roteirista de telefilme. 

Logo em seguida, Danny escreveu outro elogiado drama, Mordomo da Casa Branca filme em que ele se formou uma parceria bem sucedida com Lee Daniels, o diretor. Os dois criaram juntos Empire a sensação na TV aberta americana na temporada passada que conquistou excelentes indicies de audiência para uma produção novata. A série tem duas coisas que o publico americano adora: musica e personagens com personalidade forte. Trabalhando como roteirista da série, Strong ainda escreveu o roteiros de Jogos Vorazes - A Esperança Parte 1 e Final.  O rapaz continua a todo o vapor e já foi anunciado como escritor da adaptação do livro The Lost Symbol (O Simbolo Perdido) de Dan Brown e também de Rebel in the Rye a esperada biografia do recluso escritor J.D. Salinger de O Apanhador no Campo de Centeio

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

A SEXTA (E ULTIMA) TEMPORADA DE DOWNTON ABBEY








Mais uma série querida por mim se despede. Após 6 temporadas, 52 episódios e milhões de fãs pelo mundo, Downton Abbey chega ao final com o sentimento de dever comprido. Se bem que, para encerrar de vez a produção inglesa, vai ser exibido o especial de natal como manda a tradição das series mais assistidas na Inglaterra. O capitulo 8 da sexta temporada exibida no ultimo domingo amarrou varias pontas soltas que Julian Followes criador e escritor de 50 capítulos fez questão de ajustar.

Para os fãs fies como eu que não desistiram do show quando o querido personagem Matthew e seu interprete Dan Stevens saíram (o que fez a série perder o rumo por um tempo), puderam vibrar, se emocionar e, talvez, até se irritar com os finais escolhidos para os personagens. A sensação de despedida vem desde o primeiro episodio quando os personagens comentam que os tempos estão mudando e o estilo de vida da família Granthan e seu majestoso e luxuoso castelo ficarão para trás. A derradeira temporada se passa em 1925 e as maquinas dominam as fabricas, começam os voos comercias e o telefone encurtou distancias. Na área dos patrões o lorde Granthan (Hugh Bonneville) e sua esposa Cora (Elizabeth McGovernent) entram em pé de guerra com a mãe dele Violet (Maggie Smith espetacular como sempre) pela administração do hospital que a família  comanda. Justamente na ultima temporada, Cora ganha espaço e defende a todo o custo seu ponto de vista. Do lado dela, está Isobel (Penelope Wilton, maravilhosa) que bate de frente (como sempre de modo divertido) com a condessa viúva. Tom (Allen Leech) retorna dos EUA com a pequena Sibbie para a alegria de todos. O grande destaque fica por conta do embate entre as ladys Edith (Laura Carmical) e Mary (Michelle Dockery) já que esta ultima desconfia que a pequena Marigold é bem mais do que adotada da família.

Elenco grandioso e carismático


Descendo as escadas, os criados sentem efeito dos novos tempos e procuram um rumo na vida. O grande destaque é o casamento emocionante de Carson (Jim Carter) e Hughes (Phyllis Logan) uma bonita amizade que se transformou em amor. Cada criado tem sua pequena historia contada e outro destaque é a tentativa de ficar gravida de Ana (Joanne Froggrat). A  historia de Ana com Bates (Brendan Coyle) foi tão bonita e bem contada durante a serie que os dois acabaram aparecendo pouco neste ultimo ano, mas em momentos chaves. Nisso, ganhou destaque maior Dayse (Sofhie McShera), Barrow (Rob James-Colier), Moseley (Kevin Doyle) e Patmore (Lesly Nichol).

Mary e Edith: o conflito final explode no ultimo capitulo da série


Flertando como sempre com as telenovelas latinas, Downton Abbey reservou um grande mistério  para o final. Apesar de não ser segredo para o publico, Mary não sabia da origem da pequena Marigold. Esperta, ela descobre e acaba revelando a bomba no momento de maior felicidade de Edith.  Tudo isso por que ela estava chateada com o fim de seu namoro com Henry (Matthew Goode) e despejou todo o seu veneno numa cena que misturou raiva (de Mary por ter feito isso) e pena (por Edith que foi rejeitada pelo namorado por ela esconder seu segrego). Então, um dos mais emocionantes momentos de Downton Abbey acontece quando Mary leva uma bronca de Tom (ele disse tudo o que a maioria dos fãs estavam engasgados para dizerem) e mais tarde Edith desabafa gritando e xingando (merecidamente a irmã). Nas péssimas decisões que os roteiristas vez ou outra tomam, Mary acaba casando (!) e Edith sozinha com sua filha. Pois é, a esnobe e metida ficou feliz no final e a patinho feio da família, sozinha. Parece a vida real.

Caso você não consiga baixar pela internet os capítulos finais da série, o canal  GNT tem previsão de exibi-los em 2016 em data ainda não divulgada. Downton Abbey fará falta, assim como muitas series que eu gostei muito como Buffy e 30 Rock. Mas, como diz o velho ditado, tudo que é bom um dia acaba.


sábado, 7 de novembro de 2015

30 ANOS DE CHANGEMAN


A série do gênero Super Sentai mais famosa no Brasil está completando 30 anos de sua estreia: O Esquadrão Relâmpago Changeman. Juntamente com Jaspion, o seriado foi um sucesso absoluto e um fenômeno que divertiu crianças (inclusive esse que vos escreve) no país no final do anos 1980 na saudosa Rede Manchete.


Para nós pequenos era muita novidade ver cinco heróis coloridos lutando com seu robô gigante contra as forças de seres alienígenas. Mas, no Japão, esse tipo de serie já existia a 10 anos e ficou conhecida como a franquia Super Sentai que é exibida até hoje mas sem a mesma força (e graça) de séries da época de Changeman. É um pouco conhecida a historia do seriado no Brasil, mas a vale a pena relembrar: o empresario Toshihiko Egashira tinha uma locadora em São Paulo especializada em programas japoneses. Mesmo em versão original e sem legendas, a fitas eram muito locadas principalmente as séries de heróis coloridos. Isso animou Egashira a trazer essas series no Brasil através da sua recém formada Everest Vídeo (hoje conhecida como Tikara Filmes) mas foi uma tarefa árdua fazer alguma emissora de televisão aceitar a passar esses programas haja visto que o que fazia sucesso com as crianças eram os desenhos do Show da Xuxa como He-Man, She-ha e Transformers. A Rede Manchete aceitou a exibir a serie num esquema tipo "eu exibo de graça e você passa suas propagandas de graça - também utilizado na primeira exibição de Os Cavaleiros do Zodiaco". Mas nenhuma das partes estava preparada para o fenômeno que se seguiu. Changeman e Jaspion estouraram em todo o Brasil e fizeram Egashira trazer mais e mais séries japonesas para serem exibidas aqui. Até a Rede Globo entrou na dança.




Alem da novidade, a série foi muito feliz em criar personagens tão carismáticos e que foram queridos pelo publico. Quem roubava a cena eram os vilões. Como não se encantar com Shima a princesa com voz de homem? Ou Gata a fera que era mal apenas para proteger sua família. Mesmo o arqui inimigo Buba com sua trágica historia e uma cena de  morte tão bela e inesquecível. Claro que os heróis também fizeram sua parte. Tsurugi foi um  dos melhores Red na minha opinião sempre machão e preocupado com a equipe. Hayate e seu cabelo impossível todo garanhão. O fanfarrão Ozora e o triste episodio que seu cavalo é morto. E as gatinhas Sayaka e Mai, garotas duras na queda. Imagine como reagiu uma criança ao ver o sargento Ibuki metralhando seus soldados logo no primeiro episodio? Falando em soldados, os Hidler e seus barulhinhos são maravilhosos.

Giluke, Buba, Shima, Gyodai, Ahames, Soldados Hidler e Bazoo: vilões carismáticos. 


Foram 55 episódios curtos de 17 minutos repetidos a exaustão na Manchete e em outras emissoras, lançados em DVD pela Focus Filmes e que podem ser baixados na internet facilmente. Para 2015 as novidades ficam pelo fato de alguns episódios de Changeman terem sido exibidos em alguns cinemas brasileiros e que o seriado vai estar disponível em breve no Netflix. Prova que os clássicos nunca saem de moda.

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

NOTA 0 E NOTA 10


Para a participação especial de Whoopie Goldberg em Lei e Ordem - Unidade de Vitimas Especiais no episodio que foi ao ar essa semana no Canal Universal. Fazendo o papel de uma assistente social sobrecarregada que é acusada de um crime, a atriz deu um show nos minutos finais do capitulo na cena do tribunal onde ela desabafa sobre o que tem que aguentar no seu  trabalho e o descaso com pessoas pobres. Atuação visceral de arrepiar. 

10

0




Para o Warner Channel que está enviando suas novas series para serem (mal) dubladas em estúdios de São Paulo quebrando uma tradição de anos em que a Turner utiliza os serviços de estúdios cariocas para dublar suas produções (Wan Marcher, Delar e Cinevideo). Deve ser a crise que faz a Warner pagar mais barato para estúdios paulistas fazerem versões brasileiras sofríveis de series interessantes como Friends, Supergirl e Gothan.  Outra mancada do canal foi mudar o horário da serie Plantão Medico para 01h00 sem reprises! Os assinantes também estão irritados com o canal pois nenhuma das reclamações acima tem respostas  por parte da empresa (não sou só eu que estou reclamando).

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

MÁS COMPANHIAS: MISSÃO IMPOSSIVEL - NAÇÃO SECRETA

MISSION: IMPOSSIBLE - ROGUE NATION                              
EUA, 2015 DIREÇÃO: CHRISTOPHER MCQUARRIE
COM TOM CRUISE, SIMON PEGG, JERENY RENNER,
VING RHAMES, REBECA FERGURSON, 
ALEC BALDWIN


NOTA 9,5




Durante este Missão Impossivel - Nação Secreta alguns personagens dizem para Ethan Hunt (Tom Cruise) "quando que você vai parar", "você se arrisca demais", etc. Parece uma direta para Cruise pois o astro mais uma vez brinca com o perigo em espetaculares cenas de ação. A primeira sequencia é a tao falada cena em que o ator se pendura num avião em movimento. E você ficou de queixo caído naquela cena do edifício mais alto do mundo no filme anterior.

Na trama  a IMF (Mission Impossible Force) é descontinuada mas Ethan Hunt age por conta própria com a ajuda dos amigos para tentar parar com a ação do Sindicato um grupo que pretende dominar o mundo sob o comando de Solomon Kane (Sean Harris). Cruza o caminho de Ethan a bela Isla (Rebecca Fergusson) personagem misteriosa cuja real intensão e de que lado ela está só é revelado no final. Nisso, ela age como uma agente tripla. Para ajudar Hunt em sua caçada por Kane ele tem ajuda dos companheiros velhos de guerra Benji (Simon Pegg, sempre o alivio cômico), Luther (Ving Rhames) e, a contra gosto, Bradt (Jeremy Renner) que tentam ajudar o amigo sem que o chefe da CIA Hunley (Alec Baldwin) descubra.




Sinceramente num tipo de filme como esse a trama pouco importa hoje se tornou mais interessante ver Tom Cruise se arriscando para nos divertir. Seja na famosa sequencia inicial, seja em outras como na espetacular perseguição de moto nas ruas de Casablanca, Marrocos. O cenário principal do filme é a charmosa Londres, locação de muitos filmes e lá acontece o final sem um grande clímax uma solução até sem graça. Bom, todas as cenas anteriores já foram o suficiente. Para quem sente falta de história, o lado negativo fica para o próprio Tom Cruise, sem uma grande historia, ele é apenas fantoche das cenas de ação com pouco drama para desenvolver o seu personagem. Todo mundo sabe que ele dará um jeito de se safar de qualquer situação. 

Com a sexta sequencia já anunciada, Missão Impossivel - Nação Secreta tem a direção e co-autoria do roteiro de Christopher McQuarrie roteirista de No Limite do Amanhã, Jack Richer e Operação Valkiria ambos com Cruise. 

CONHEÇA: ODEIO SEGUNDAS

Não tem uma só vez que você não escute alguém reclamar das segundas feiras. O dia mundial do cansaço, da preguiça e do mau humor. Mas agora chegou a hora desse dia se vingar pois o canal GNT estreou a nova serie Odeio Segundas onde a própria narra (com a voz de Fernanda Young) que ela não é culpada por nada e, com raiva, acaba dando uma ajudinha para sua fama ficar pior.

Ambientada num escritório, Odeio Segundas se passa a cada episodio numa segunda feira e como esse dia altera o comportamento das pessoas. Foi numa segunda que o chefe da galera aí de cima da foto viu seu chefe morrer. Alguém precisava substitui-lo e, por engano do destino, quem acaba sendo escolhida é Valéria (Marisa Orth). Despreparada e um pouco desequilibrada (ela acabou de se separar do marido) a mulher tenta a cada episodio se esquivar deste destino. Se depender de seus colegas, isso pode ser um pouco bem fácil. Barbara (Lyv Ziese) é a gordinha simpática que tenta agradar a todos e se acha melhor amiga de Valeria. Guedes (Tiago Rodrigues) é o cínico e garanhão do escritório que almeja o cargo de Valeria. Brenda (Carol Macedo) parece ser a mais legal. É lésbica e cheia de tatuagens mas tem que esconder suas opções para não ser descriminada. Lipe (Flavio Pardal) é o nerd tímido e que sempre se da mal na paquera. Murtinho (Anderson Müller) é o mau humorado do lugar e Sueli (Fernanda Paes Leme) é a gata que tem um caso com Guedes. Juntos, eles passam mais tempo falando mau um dos outros e tomando cafezinho do que trabalhando para aborrecimento de Valeria que a todo o tempo é cuidada por seu supervisor.

Marisa Orth e a segunda feira: dupla perfeita


Criado e escrito por Alexandre Machado e Fernanda Young (ambos de Os Normais), o seriado  foi originalmente concebida para a Rede Globo que adiou o projeto mas acabou ficando como co-criador da produção.  Odeio Segundas tem grife da dupla  com cenas rápidas e diálogos ácidos. Graças a isso, temos a impressão de estar num escritório de verdade pois os atores dizem as falas engraçadas escritas por Machado e Fernanda de forma mais natural possível. Quanto aos atores, a série parece que foi escrita para Marisa Orth pois a atriz é muito engraçada e exorciza de vez o fantasma da Magda de Sai de Baixo. O outros atores são bem engraçados também exceto Tiago Rodrigues que é esforçado mas o seu tipo de personagem (o gostosão garanhão) não ajuda.

Estranhamente, ou para sair totalmente do clichê, o canal  GNT exibe a série as quarta feiras as 23h00 com reprises domingo as 21h00 e outros horários.  Definitivamente, as segundas feiras agora estão mais divertidas.

Você não está sozinha companheira

domingo, 1 de novembro de 2015

CONHEÇA: QUANTICO









Imagine uma mistura de Grey's Anatomy com Homeland. Se você não entendeu as referencias, Quântico  é sobre um grupo de recrutas a agentes do FBI que são selecionados para ficarem em Quântico, a sede da agencia, e serão treinados para se tornarem novos agentes. Enquanto alguns deles se envolvem romanticamente, um deles é responsável pelo a segundo mais impactante atentado a Nova York após o 11 de setembro.

No estilo How To Get Away to Murder, a série se passa em dois tempos. No presente, quando os recrutas são treinados e nove meses no futuro após o atentado. Muitos personagens tem atitudes suspeitas para serem o ou a responsável pelo crime.

A personagem principal é Alex (Prianka Chopra, bela atriz nascida na Índia) uma jovem que esconde da mãe que está se mudando para as instalações do FBI. Ela quer descobrir sobre o passado de seu pai, que por sinal ela teve que matar para salvar a mãe de ser violentada por ele. Alem de carregar esse crime, a garota causou nos primeiros minutos do piloto da série quando conhece um rapaz no voo para Virginia a transa com ele dentro de um carro. Achando ter uma transa casual, ela leva um susto quando encontra o cara que se chama Ryan (Jake McLaughlin) também como recruta do FBI. É aí que encontramos resquícios de Grey's Anatomy pois, a mocinha Meredith transa com um homem que vem a ser seu novo chefe no primeiro capitulo da serie medica.

Outros personagens também são abordados. A personagem  mais misteriosa,  que entrega o fato mais curioso do primeiro episodio, é a muçulmana Nimah (Yasmine Al Massrn, atriz que nasceu no Líbano), até pelo fato de sua origem  e pelo segredinho que carrega, ela é a suspeita mais obvia, para os telespectadores, claro. Ainda tem a patricinha Shelby (Johanna Braddy), o nerd e gay Simon (Tate Ellinton) e a folgado Caleb (Grahan Rogers), garotão que só entrou na academia graças a influencia dos pais, também agentes. Esse grupo eclético é supervisionado pelos agentes  Liam (Josh Hopkins saído do set da recém encerrada série Cougar Town) e Miranda (Aujaune Ellis), supervisora durona e fria.

Prianka: estrela indiana em ascensão. 


Com 5 capítulos já exibidos, a série Quântico está sendo exibida no Brasil pelo canal pago AXN com uma competente versão dublada nos estúdio carioca Alcateia  sobe a direção da veterana Marlene Costa que escalou as filhas Fernanda Barone e Flavia Saddy nos papeis principais (Alex e Shelby, respectivamente). Ainda no elenco de dubladores a presença dos sempre ótimos Sylvia Salusti (Nimah), Eduardo Borghetti (Liam) e Marcia Morelli (Miranda). Foi um alivio ver esta série sendo dublada no Rio de Janeiro já que as séries exibida nos canais Sony e AXN que são distribuídas pelo grupo Disney como Scandal e How To Get Away to Muder ganharam versão brasileira em estúdios de São Paulo, que ultimamente não fazem boas dublagens (na minha opinião).

Quanto a série em si, ao julgar pelo primeiro episodio, é louvável a politica da ABC de escolher protagonistas de diversas etnias para suas séries. Nesta Quântico, as atrizes que mais aparecem tem origens indianas e muçulmanas. Deu uma variada pois quase todas as series possuem o mesmo tipo físico clássico americano. Quanto ao roteiro, como é de praxe nas novas produções, o primeiro capitulo tem muitas pontas a serem arrumadas conforme a temporada se desenvolve. Mas não sei se o plot é suficiente o possível para uma serie duradoura, Alguns pontos (que não vou revelar) foram suficientes para chamar o publico para voltar para a segunda temporada. Um porem vai para facilidade com que os personagens conseguem as coisas como por exemplo o fato de Alex e Ryan transarem alguns momentos depois de se conhecerem. Mas como é uma obra de ficção, tudo é possível.